domingo, 26 de maio de 2013

queda


cartas postas sobre a mesa
(e é carta pra baralho)
a visão do assoalho
não me causa mais tristeza
o meu corpo vai primeiro
pra rolar uma surpresa

o nosso corpo é idiota
tadinho, tem que cuidar
a mente sempre disposta
também bate
e eu aqui, a separar
tem que saber o lugar de cada um
a alma é a riqueza que temos
é preciso inocular

minha mente não é arte
é matéria-prima dela
a mente é Barsa, primavera
e o corpo poesia guiando-nos verão
mostrando onde é que feria
nesse mapa cicatriz

vivamos num corpo seguro
com a mente por um triz
saiamos de cima do muro
porque a queda nos faz feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário