domingo, 2 de junho de 2013

migalha

vou assim
vivendo de migalha
achando os tesouros
sem ter que procurar

simplesmente não me faz
sentido ter com o que me preocupar

as horas passam claras
pra minha mente planar anil
embalando canções mil
e ressuscitando horas raras

vou assim
morrendo de fartura
buscando vida candura
nas imensidões da beira-mar

Nenhum comentário:

Postar um comentário