quarta-feira, 31 de julho de 2013

hostilidade

você pode não perceber
o quanto eu acho charmoso
essa sua hostilidade
pois isso me demonstra sinceridade
que além de raro, requer todo um mérito
em se manusear

e é por meio disso
que eu percebo os seus medos
e o que seria pra repelir
te expele, e eu me pergunto
se sua fraqueza 
não é sua pele

parece criança,
que reclama da dor
negando o chá;
vou te dar essa colher
torcendo pra que você não use como faca

domingo, 28 de julho de 2013

mito da concha

ser reflexo, faz lembrar
que espelho é vidro
e ao quebrar morre cortante
como um kamikaze narcisista

por estarmos todos concha
uns pontudos, outros não
tem o ouriço que anda,
e o ouriço do mar

molusco, invertebrado
anda pelas próprias pernas
e carrega a casa nas costas
é um bicho de exemplo
pra quem sonha liberdade

traz por fora dor e sofrimento
em suas lanças afiadas
mas ao mínimo calor se abrem
revelando a fragilidade ora escondida
e agora escancarada

molho

cruel amor emprego
que me dá sossego mas obrigação
dislexia doce, como torta de limão
eu me dôo e me vendo, por um abraço
e um aconchego

te chamo pr'um café
ou te pago uma cerveja
jogamos palavras fora
criando uma teia pra que deitemos
e não saiamos mais

pra que eu fosse tua presa;
mas você presa estaria

porque minha chave é teu olho
que me abre por inteiro
e mesmo vestindo o codinome 'sésamo'
acho-te em meio a tantos outros nesse molho

sexta-feira, 26 de julho de 2013

despir

a arte me consome, me denigre
me transforma em pó e espuma
é esquizofrenia, mediunidade
anjos e demônios, bondade e maldade

tudo isso fluindo, eu um filtro
ou motor
ou vela
ou amor

captando os ventos e moldando
tendo cada vez mais a mão mais leve
fazendo samba, fazendo rock
fazendo um riff que vicia como crack
fazendo letras que incitam ataques
getting anything that might makes it heavy

e eu fico viajando, imaginando o que pode ser
desenhando num caderno de desenho
o esboço de album
e apresentando minha arte
como um sedutor barato
que te faz rir às oito, e te despe às onze

segunda chance

o que tu ouviu sobre mim:
se era maldoso é mentira
mas se você não concorda
é verdade

eu sou o pior tipo de pessoa
pra alguém que conhece alguém
esperando concordar

porque eu vivo da segunda chance
a primeira é descartável
apenas um teste pra fazer
com que a nossa alma amanse

domingo, 21 de julho de 2013

sorriso

vamos parar de tentar nos convencer
todos nós que nos relacionamos
temos as nuvens de testemunhas
ainda que elas não falem
e tomem formas disformes
vamos nos chamar de céu
e vestir esse uniforme

-
nuvens que refletem seu sorriso
o seu dente e a sua alma
que te fazem mais gostosa
do que qualquer silicone

ah, sorriso peça
em que és protagonista
na fala, na mordida
ou outro jeito espontâneo
tatua minha pele com teu sorriso
pr'eu carregar tua alma
no meu tecido subcutâneo

quarta-feira, 17 de julho de 2013

formigas

sobre a originalidade
na composição artística
às vezes sou crítico cínico
nesse jogo de vaidade

não comece a produzir arte
ou terá um olho clínico

pois o que nos diferencia
das formigas
é que nos sobra a intenção
e nelas sobra o instinto
como a uva que nasce do pé
e é engarrafada em vinho tinto

(nas suas mais variadas qualidades)

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Olimpo

Deus nos deu uma mente pra sabermos de onde viemos
e um corpo para sabermos para onde vamos

"há alguém mais esperto do que nós dois aqui"
"e seria..."
"o nosso choque de egos"
"como resolveríamos isso?"
"podemos ser deuses ou humanos"

e eu não sei a diferença propriamente dita
entre essa cama e o Olimpo
entre essa cama e nossa cova
ver em tua face Alexandria
me abastecer de todo o conhecimento
e ir embora dessa biblioteca
em busca de qualquer morte nova

a fim de nascer novo de novo

quarta-feira, 3 de julho de 2013

idade

acho que gosto de complicar
enxergar o complexo
ver em tudo um paradoxo 
e grande mesmo ele é
quando é só aí que eu enxergo algum nexo

é o que colorifica esse mundo preto e branco
perceber além, se mergulhar nas coisas
não há nada que não precise
de um toque de sensibilidade

certas coisas você só aprende com a idade

ciência

vou beijar a testa do amigo
que interrompeu meu beijo
de palavras e ideias
"parem de conversa e vão transar",
mas aquilo ali pra mim foi transa
e a transa, consequência

porque são as opiniões despejadas
que deixam meu corpo em êxtase e dormência

todo sexo pra mim é ciência
e toda ciência pra mim é arte
arte sexo & ciência juntos
soltos e livres,

como falar na matemática
e fazer conta em poesia

garrafa

encheu até a tampa da garrafa
transbordou
talvez eu não deva mais
(talvez eu tenha pago demais)
enxergar isso como um problema

é uma situação
temos que pensar sobre isso
(e não tão nisso)

porque sim, de fato passam
mas não serão mais o que eram
e eu não sei até onde
me vejo filtro ou esgoto

antes que alguém morra de desgosto
antes de esvaziar essa garrafa