sexta-feira, 26 de julho de 2013

despir

a arte me consome, me denigre
me transforma em pó e espuma
é esquizofrenia, mediunidade
anjos e demônios, bondade e maldade

tudo isso fluindo, eu um filtro
ou motor
ou vela
ou amor

captando os ventos e moldando
tendo cada vez mais a mão mais leve
fazendo samba, fazendo rock
fazendo um riff que vicia como crack
fazendo letras que incitam ataques
getting anything that might makes it heavy

e eu fico viajando, imaginando o que pode ser
desenhando num caderno de desenho
o esboço de album
e apresentando minha arte
como um sedutor barato
que te faz rir às oito, e te despe às onze

Nenhum comentário:

Postar um comentário