quinta-feira, 8 de agosto de 2013

U.F.O.



estou à espera deste U.F.O.
uma abdução que roube o meu coração
cada vez mais fincado nesse baixo mundo...
um pedido estúpido para uma estúpida utopia

a forma como você empunha a cerveja
me diz que talvez não tão forte assim você seja
e possa desmoronar quando eu disser
que às vezes sinto saudade
(mas só às vezes)
medo de que nesse momento
você quebre a garrafa na mesa
ou simplesmente imagine isso
como uma manifestação qualquer de tristeza

e eu acabo mudo e sorrindo menos
deixando de brigar contigo nessa luta de cócegas
risos manifestados pelos corpos quentes
juntos e instáveis como dois barris de pólvora

que torcem para estarem sempre seguros
mas que só precisam de uma chance
para acender o pavil, este
que em mim já foi arrancado há tempos
mas existe simbolicamente
e é acendido a cada momento que passo contigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário