sábado, 7 de setembro de 2013

discreto

a forma como as pessoas
são afetadas pelo afeto
me faz pensar se somos
adultos ou fetos nessa epopéia do sentimento
se somos reféns do casamento
como os filhos de Moisés

eu gostaria de pensar
que estamos a caminho da perfeição
mas a cada dia que passa, com tantas flores
distribuídas ao léu
eu sinto que as pessoas estão cada vez mais sozinhas
e que suas preces são gritos de socorro

mingau se traça pelas bordas
eu prefiro quem não liga pro calor do centro do prato:
gato preto largado no lixo, 
que anda na noite caçando a lua...
(essa mesma que na multidão é clara
mas diante de nós dois é nua)

antes que falemos sobre os sentidos largados,
antes que falemos da colcha amassada no motel;

o amor que eu vivo, carmim
antes de qualquer demonstração pública de afeto
é vivido intensamente,
com cuidado, esmero... e discreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário