segunda-feira, 5 de maio de 2014

feno






eu tenho a mania de fazer um buquê
com as flores perdidas
e eu não sei o porquê
essas flores doídas
com pétalas caídas
que não sabem o que fazer
são dessas flores que eu cuido
vidas

eu não consigo ser metade
nem cara-metade
nem metade coração

eu vivo na dualidade da emoção

eu não consigo viver
como se o que eu sentisse
fosse feno
que eu rumino e engulo
como algo pequeno
tão pequeno
como se eu não engolisse

se tudo que sinto tem cheiro
se tudo que eu sinto tem cor
se o meu sexo tem amor
e o meu amor tem rosto
já que o corpo sem amor
pra mim não tem gosto

eu ainda não sei
não resolvi o mistério
se essas flores fazem disso
um jardim
ou um cemitério

Nenhum comentário:

Postar um comentário