quinta-feira, 5 de junho de 2014

anarquia

sentir com inteligência, pensar com emoção






você me corta à metade
me dichava
me mistura e eu continuo sendo o mesmo
muito diferente depois de você
eu vejo chaves perdidas por aí
mas você me abriu na primeira tentativa
então eu fico

minhas veias mudam de rotas
meu coração tem novas artérias
retas e precisas
que se ligam diretamente ao cérebro
antes influenciado por vias tortas

você me reescreveu por completo
me tirou da era glacial
como na formação do planeta
eu ao contrário
fui vulcanizando-me
e agora resfriado
me percebo melhor

você me fez perceber-me imortal
você me evitou de ser amoral
porque o seu crime e anarquia
me conduz a uma nova
e mais tranquila
ordem social
                       [ interna


nunca houve como você ninguém
eu suspeito que nunca haverá
não me há o medo de perder-te
vez ou outra te encontrarei
só não quero me afastar
completamente

porque quando a vida não nos permite
é que acho que ela foi feita pra gente

Nenhum comentário:

Postar um comentário