quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Robin Hood





demora pra alma assentar
homogeneizar o cansaço
a paz é apenas o nome que se dá
pra quando à luta abaixamos os braços
porque simplesmente
não vale a pena lutar

o processo indolor
visto de cima
da árvore que finca a raiz
no solo fértil e frio
não é tão indolor
se perguntado à terra roxa
cheia de si pelo chão
que de muito longe parece vazio

doce ilusão, essa de mudar o mundo
as pessoas, a realidade ao redor
somos eternos insatisfeitos
eternos imperfeitos, eternos ingratos
se estamos diante do melhor

"Quae sunt Caesaris, Caesari";
da vida o que temos de bom
é o que temos em mão
amar é deixar o peito em cativeiro
sem esperança de salvação

quando a menor palavra tem efeito
quando o menor efeito te maltrata
quando você faz de tudo pra não ver defeito
você percebe que a ilusão é a qualidade do perfeito
e que a verdade
                            [ a intimidade
só estraga

para a doce mentira que criamos
sentimentos são adagas
que eu prefiro não apontar
no meu circo de atiradores de facas
e o grande truque consiste
em desconcentrar pra não acertar

foco nos outros sentidos:
basta proteger os ouvidos;
no fim das contas em atitude
uma linha muito tênue separa
o cupido e o Robin Hood

Nenhum comentário:

Postar um comentário