quinta-feira, 23 de outubro de 2014

MPP






não raramente
em momento comigo
me sinto em êxtase
com o meu amigo interno
o meu amigo eterno
meu doce egoísmo

do soro caseiro vital
os sentimentos que visamos
nos dizem pra evitar os mundanos
e concordo
o mundo precisa clarear esse vitral
mas diante de tantos
como não se sujar?

tento balancear entre o doce e o salgado
dos paladares mais infantis aos requintados
agradar
e assim ser acessível
o máximo Pedro possível

             [  e o fato de falar de mim
                                                        é um egoísmo sem fim

adiante;

todos eles que se dizem bons
nossa, reclamam o dia inteiro
e perdem o final de semana
se o café não está legal

eu, gosto do amargo
das colheradas mínimas, além,
não fazem mal

do açúcar mínimo, também
para não ficar intragável

das vitórias mínimas eu sigo,
minha vida não é contada em anos ou meses
mas num calendário próprio que segue meu tempo
dia após dia lutando

agradecendo o aroma que vem
desse grão queimado
tão fértil ainda, se soubesse
bradaria:
me joguem à terra
eu quero crescer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário