quinta-feira, 6 de novembro de 2014

a minha melhor versão






amigos, amigos
somos os mesmos de sempre
não adianta esconder
e toda vez que penso que não sou mais
que não somos
que sumimos
o acaso nos permite
que apareçamos num espasmo de sinceridade
contra toda essa manobra da vida
que nos transforma
e nos deforma
em outros
que não a versão mais feliz de nós

aos meus queridos amigos
                    [ dos tempos queridos
os que vem e os que vão,
a todos vocês
a minha melhor versão;
e ao mínimo sintoma de frieza
o meu verão

Nenhum comentário:

Postar um comentário