quinta-feira, 21 de maio de 2015

antártico




há algo oculto
na natureza humana
sobre esses processos de mudança interior
sobre a origem da nossa vontade
e eu tento não acreditar que estamos à deriva
por pura vaidade

já me sinto bem assim
antártico
achei que fosse morrer de frio
mas a vida está mais simples
e tudo que era simples
agora tem mais sabor
até mesmo o que é vazio
                                          [ dispenso

nunca estive tão assim
talvez um pouco, hora ou outra
há algum tempo atrás
mas é como se houvesse aqui
um termômetro, um relógio
um alarme de incêndio
que toca a cada hora de mudar
é como se não houvesse aqui
nenhuma necessidade
senão andar
algo meio difícil de se fazer
nos furacões em que me meto
que tiram meus objetivos de perto
ou que me afastam de tudo aquilo
que eu julgava certo

há uma brisa aqui
no topo da minha consciência
que me ajuda a pensar melhor
e a definir caminho;
                        [ mesmo que breve
que me ajuda a aproveitar melhor
as companhias, sozinho
e a lidar melhor com qualquer ausência
de uma forma muito leve

Nenhum comentário:

Postar um comentário