quinta-feira, 14 de maio de 2015

plano infalível

Deixai que os fatos sejam fatos naturalmente
Sem que sejam forjados para acontecer
Deixai que os olhos vejam os pequenos detalhes
Lentamente deixai que as coisas que lhe circundam
Estejam sempre inertes como móveis
Inofensivos para lhe servir quando for
Preciso e nunca lhe causar danos
Sejam eles morais físicos ou psicológicos






eu sei ou fico sabendo
de muitas histórias
de meus pais, tios, avós
todos eles ótimas pessoas
mas todos bastante complicados
me olham com esses olhares repreensivos
ditando os mesmos ditados
sobre uma vida correta e retilínia
sobre os perigos da modernidade
sobre as mazelas dos vícios
e os vícios da idade

e todos estão sentados em seus sofás
assistindo as vidas alheias
ou lendo, ou falando delas
e todos girando sobre o mesmo assunto
os mesmos erros
quase em toda a sua maioria
por "amor"

foi por amor que nenhum deles é doutor
e talvez seja por amor que meu pai não é artista
é por amor que o vizinho não é capa de revista
e é por amor também que o meu tio não tem nenhum amor

no fim das contas,
é por amor que todos os meus parentes pagam contas

eu não deixarei Elis morrer na cruz por nós
todos os astros do rock
que se foram aos 27 anos
eu infelizmente os deixarei a sós

dizem que é sina de aquário
mas pra mim é medo

medo de ter que lamentar acordar cedo
medo de ser chamado de otário
medo de ser esquecido com um bolo na mão
nos meus dias restantes de aniversário

e se lembrado for
espero que não seja apenas nesses dias
com um nome no topo;
eu vou vingar todo antecessor
que teve uma vida desprezível
vou me abster do que mais valioso eles tiveram
que foi esse plano infalível
do amor

vou matar e morrer por mim mesmo
pela minha liberdade
pela minha sanidade
mental e psicológica
vou me afastar de tudo que me faz mal
ou que não me satisfaz
de um ponto de vista justo e racional
vou tentar conter meus pontos de vista emocionais

vou tomar tudo em doses homeopáticas
pra evitar esses futuros patológicos
de casamentos monumentais
e luas-de-mel trágicas

Nenhum comentário:

Postar um comentário