quarta-feira, 9 de março de 2016

virus

no one here wants to fight me like you do



Caetano há algumas décadas
já previa meu modus operandi:
um anticomputador sentimental

já citado em outro texto
uma interface meticulosamente criada
pra conexão com outros indivíduos
para uma melhor comunicação
o mais confortável possível
sem perder a sua veracidade e franqueza
uma criptografia deveras avançada
feita de coração para coração

há um fato que os outros não sabem
(e sim, eu sei que existem "outros"
não são todos como nós)
a gente se reconhece no olho
na cor da alma, no cheiro
eu te reconheci pelo seu cabelo
e sei por isso que você é ainda mais especial

como em "Colossus"
duas nações mundiais habitam em nós
URSS e USA
uma guerra fria com objetivos nada bélicos
belos objetivos eu diria
como você

há quantas ando nessa disputa?
até quando você me testará na sua luta?
espadachim especialista
golpe de olho, D'Artagnan
sei de olhos fechados
que por aí
só você me derrotaria numa manhã

segunda-feira, 7 de março de 2016

virtual





eu queria abandonar a vida real
pra viver uma vida marginal
por uns tempos
num ambiente computacional
sem regras muito bem definidas
sem ter que abandonar a vida virtual
a qual estou submetido

sem as amarras que o tempo/espaço me dão
me fazem escolher entre a cabeça, o bolso e o coração
ou talvez eu tenha uma carga maior nos três sentidos

eu vejo como as pessoas aplaudem
os bons exemplos
pessoas simples e comprometidas
com um único ideal ao qual se dispuseram
um ideal que as satisfaz completamente
um norte e identidade para toda uma vida

mas infelizmente eu não consigo ser assim
eu sei os custos que envolvem
mas dentro de mim existe algo
que me diz todos os dias
para continuar nesse propósito louco
em ver o mundo à minha maneira
e que algum dia mais cedo ou mais tarde
eu receberei uma carta notificando os ganhos até então

como uma métrica no trabalho
de grão em grão
vivendo numa topologia estrela
me expandindo para todos os espaços