segunda-feira, 18 de abril de 2016

troco





quando acontece um acidente na linha
eles colocam uma placa de aviso;
da mesma forma eu uso um brinco na orelha
e é por esse motivo que eu ainda não fiz uma tattoo.
diferentemente das que vem no chiclete
eu não vou poder trocá-las de manhã
porque esse é o meu vício:
eu troco demais
e acabo nu

e reclamo se me sobra o troco
se não pago as prestrações da casa própria
da segurança de um lar
e nesse caso
              xxos
é mais do que o sonho americano
é a beleza americana posta à cama todos os dias

eu não vou jogar a toalha

nós estamos jogando um jogo
eu e você
eu sei disso, eu vejo no seu olho
da forma como você me olha rapidamente
pra ver se estou me machucando
da forma como você acha correto isso vindo das suas mãos

nós estamos jogando um jogo
e eu vejo o seu jogo
eu vejo quando você afina os olhos
pra checar se ainda estou ali
nós temos o terceiro olho
e estamos brincando pra ver qual o melhor

é isso ou o tédio
é isso ou a mesma linearidade lá fora
o calendário, onde novesfora
os dias vão embora e não há tempo pra você

esses dias disse a Lucas
que gosto de lidar com níveis massivos de complexidade
é por isso que estudo para mudar de hemisfério
é por isso que não me explico, deixo-me em mistério
é por isso que uso Linux
e é por isso que não uso você
é por isso que no momento
somente você eu levo a sério

terça-feira, 5 de abril de 2016

parabólica





sempre houveram os amaldiçoados
os estranhos, calados
ou falantes diante da seiva alcoólica
com ideias mirabolantes
mentes parabólicas
captando sinais do espaço sideral

os queimados em fogueira
por serem "irreverentes"
por terem o coração quente e a alma fria
os alcoviteiros, amantes da patifaria
os grandes e livres de mente

como o Donatello, o Michelangelo
que vivem nos esgotos da humanidade
que tem suas obras vendidas
nas ilustres rodas de intelectualidade;
eles sabiam a verdade da porra toda

todos estes amaldiçoados
tem o terceiro olho
o olho sabido, olho de peixe
brilhante mesmo após morto;
é o que permite que eles nadem e enxerguem
no mar de escuridão em que estamos mergulhados
como um Tietê das ideias
onde estão todos os outros
subalternos do senso-comum
todos compreendidos, modelos de conduta
já nascem com os dedos eretos
para apontar os "filhos da puta"

aqueles que foram ao Éden
e comeram a fruta
e hoje vivem livremente entre os humanos de venda
com uma mão estendida para libertar qualquer um
que compreenda
ou ao menos tente
enxergar no total
uma única gente